Jenny Beavan e Seu Look Polêmico

Durante essa semana pós-oscar que passou, muito vi e li sobre o polêmico look da Figurinista Jenny Beavan.

Pra quem não viu ainda…

jenny-beavan-02_1

jenny-beavan

Esse foi o look que a renomada stylist usou, na entrega do Oscar, evento no qual faturou a estatueta de melhor figurino, pelo filme Mad Max.

Muitas revistas de moda comentaram, renomadas blogueiras e formadoras de opinião comentaram, gente pra caramba no facebook comentou. A polêmica roupa escolhida por ela, foi alvo de críticas e também de aplausos. Vi gente importante no meio defendendo e dizendo que ela estava mesmo certa em usar o que estava com vontade e ir ao Oscar com se sentia confortável. Esses muitos se posicionaram a favor da “liberdade” de escolha dela, apoiando a decisão de transgredir o dresscode exigido em uma festa daquele porte, usando como argumento que não importa se a roupa é cara ou barata e achando o máximo ela dizer que a roupa dela era de uma loja barata e que, além disso, ela não se sentia bem de vestido e estava bem com sua própria escolha.

Entendam.. pouco importa MESMO se a roupa é barata ou cara e, DE FATO, nem todo mundo precisa usar vestido.

No entanto, existe uma tecla que bato muito como consultora, que é a da ADEQUAÇÃO.

Quem me acompanha, seja aqui nos posts, seja como cliente, seja vendo minhas dicas em vídeo no SNAP, seja indo a palestras minhas.. enfim.. quem já viu alguma coisa minha, sabe que o grande foco do meu trabalho é mostrar para cada cliente como encontrar o melhor nela mesma e como expressar isso através da roupa e da imagem. A consultoria nada mais é do que uma ferramenta para que cada cliente entenda exatamente como ser ela mesma ao se vestir, só que sempre da melhor forma possível.

Escolher peças caras ou baratas depende do gosto e do orçamento de cada um. E bonito e feio são coisas extremamente subjetivas e dificilmente duas pessoas terão a mesma opinião sobre tudo… portanto é um conceito que não trabalho muito.

Quando vou no armário de uma cliente, já passei por uma loooonga investigação (junto a ela, claro) de quem ela é, a vida que ela vive, os gostos dela, as preferências, os valores.. é tanta coisa. Quando eu chego nas roupas dela,  não é o “bonito/feio” que está em questão, muito menos o “caro/barato”. O que trabalhamos ali é enxergar quais roupas ela tem que, de fato, comunicam quem ela é. As peças que, quando ela veste, as pessoas olham pra ela e a enxergam exatamente da forma como ela quer ser percebida.

Roupa é comunicação, gente. Tudo que a gente veste, comunica alguma coisa, quer a gente queira ou não (já falei isso mil vezes em outros posts, né?!!)

Agora, voltando ao foco deste post.. rs.. A escolha da figurinsta (que vale deixar bem claro – é uma FIGURINISTA VENCEDORA DO OSCAR, o que quer dizer que ela é MESTRE na comunicação das roupas.. ela ganhou um oscar por que é a melhor nisso) sabia exatamente o que ela estava vestindo. Ela sabia muito bem que, uma festa como Oscar -aliás, particular e fechada para convidados – exige um dresscode e, aceitar o convite, implica que você deve vestir-se de acordo.

De acordo quer dizer adequadamente. Não quer dizer com um vestido do Elie Saab, nem com um salto Louboutin e jóias Tiffany. De acordo, quer dizer respeitando quem promove o evento, os outros convidados e tudo mais.

Imagina se você resolve dar uma festa super super chique, um casamento ou qualquer outro evento que você passa um super tempo preparando cada detalhe, gasta uma grana com cada docinho, cada flor, cada tudo, só pra que tudo saia perfeito (dentro da sua concepção de perfeito). Aí, sua convidada simplesmente aparece como se ela estivesse indo ao shopping. Feio, né?

Transgredir é uma forma de chamar a atenção, de querer ser mais do que os outros, que se enquadraram no que foi pedido.

Pra mim, não está em questão se a roupa dela era bonita ou feia, cara ou barata. Dizer que ela está certa em usar aquele look, porque ela deve mesmo “ser quem ela é” é apenas um argumento rebelde.

É claro que ela deve ser quem ela é. Todo mundo deve ser! Sempre! Mas é possível fazer isso e ainda ser adequada ao evento para o qual você se propôs a ir.

Quer ver um exemplo.. olha a foto abaixo:

sandy-powell

Independente de bonito ou feio, claramente vemos uma pessoa “sendo quem ela é”. Podemos odiar ou amar o look, mas há de ser respeitar que esse é o gosto dela e aplaudir o fato de que ela soube se destacar da multidão de vestidos  e mostrar sua personalidade, sem agredir as regras, adequada ao dresscode do Oscar.  Já a Jenny, mais parecia ir ao shopping do que a uma festa de gala, concordam?

É como ir trabalhar num banco de investimento de chinelo. Não dá, né? Se esse é “ser você” e você não é capaz de seguir o dresscode do mercado, vá trabalhar no Google ou em uma empresa que tenha esses mesmos valores que você.

É aquela velha frase “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”.

A gente tem mesmo que usar o que gosta e ser feliz, mas tem hora certa pra tudo. Escolha sempre usar o que reflete a sua personalidade, mas respeitando o lugar que você está.

Lembra do que já disse antes?.. Vestir-se também é uma forma de gentileza.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

1 comentário »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s